RSS Feed
Adquira nosso ebook gratuitamente


Curta nossa página, e fique atualizado!



EBITDA análise de desempenho das empresas

março 24th, 2014 by admin in Estratégias, Mercado de Ações

No mercado de ações a apresentação constante de resultados em dado período tem sido utilizados pela maioria dos investidores interessados nos principais grupo de empresas. Geralmente esses resultados vem apresentados em forma de relatórios trimestrais, receita líquida, lucro líquido e prejuízos.

Como base para a tomada de decisões os investidores acompanham os resultados dessas empresas como forma de verificar o retorno financeiro que pode ser alcançado. Uma das maneiras de acompanhar o real desempenho de uma empresa está por meio de seu EBITDA.
EBITDA : O ebitda é a capacidade de uma empresa de gerar recursos por meio de suas atividades operacionais descontando do lucro as depreciações, amortizações e impostos. Vem a ser o lucro operacional dessa empresa muito utilizado pelos investidores para medir o real desempenho de uma cia e a origem do negócio descontando dívidas, contração de empréstimos e investimentos.

O indicador EBITDA é calculado da seguinte maneira:

Em primeiro momento calcula-se o lucro operacional obtido no período com a subtração a partir da receita líquida os custos dos produtos vendidos, despesas financeiras e despesas operacionais internas. Depois soma-se ao lucro operacional os juros, a depreciação e amortização inclusas nos produtos.

Exemplo :
LO = lucro operacional
RL= Receita Líquida
CPV= custo dos produtos vendidos
DF = despesas financeiras
DO = despesas operacionais

LO = RL – (CPV + DF + DO)
LO + juros e depreciações inclusas dos produtos
Sendo assim, o lucro operacional serve para medir a capacidade de geração de recursos descontando- se assim os itens financeiros embutidos como: despesas, impostos e taxas inerentes.

Por que seria interessante o uso do EBITDA?

Alguns analistas apontam sua utilidade por apontar a origem dos resultados das empresas, eliminando os efeitos reais de dívidas, financiamentos e outras incidências financeiras indicando o real desempenho quantitativo que a empresa produz em seu negócio por meio de sua atividade fim. Os investidores analistas de longo prazo procuram ver esses resultados como indicadores da produtividade da empresa e seus efeitos reais de eficiência do negócio.

Post to Twitter Post to Plurk Post to Bebo Post to Delicious Post to Digg Post to Facebook Post to Google Buzz


Como projetar o risco de uma operação ?

janeiro 20th, 2014 by admin in Estratégias, Mercado de Ações

Saber investir por meio da análise técnica, identificando momentos ideais de compra e venda são fundamentais para uma boa rentabilidade, por isso estaremos comentando nesse post a importância de se projetar o risco da operação escolhida, evitando perdas desnecessárias de capital.

O investidor que tem em mente seu objetivo de aplicação consegue traçar melhor o caminho de suas operações, decide melhor sua trajetória e evita os deslizes cometidos de operar aleatoriamente. A análise técnica deve ser uma ferramenta de base no que diz respeito ao acompanhamento do mercado, seus movimentos atuais correspondentes, bem como sua tendência de se valorizar ou desvalorizar.

Os sinais são pontos importantes a serem observados no gráfico, pois marcam momentos de expectativas em relação a compras ou vendas e isso é decisivo entre os investidores na formação estratégica de investimento.

Sendo assim, o que seria o risco de uma operação ?

O risco de uma operação é entendido pela diferença percentual entre o preço de entrada e o ponto de stop traçado na relação 1:3, ou seja quando o ativo sofre desvalorização após uma compra malsucedida acionando o limite de prejuízo obtido naquele momento. Nessa relação de 1:3 voce arrisca ganhar 03 vezes mais do que perde se a operação for malsucedida, ou seja, quando os sinais que levaram você a comprar determinada operação forem anulados, acionando seu stop de risco antes mesmo de entrar comprado no mercado para determinado ativo. Essa situação protege seu capital de perdas maiores quando uma ação por exemplo apresenta um pivot de baixa, revertendo uma tendencia de alta quando voce estava comprado, indicando prejuízo se continuasse nessa operação.

Exemplo: Supondo que voce compre hoje 17/01/2014 um lote padrão no mercado da empresa X, cujo valor atual se encontra em R$15,00, voce posiciona seu stop no último fundo ascendente formado quando a ação começa um movimento superior em R$11,00. Qual seria o prejuízo máximo que se pode obter no caso do stop ser acionado? Isso mesmo 26% em relação ao preço de entrada totalizando R$4,00 reais.

Qual seria nosso objetivo de lucro? Correto. Nosso objetivo estaria traçado próximo dos R$30,00 em R$26,70. Veja :

Objetivo -> R$26,70

Compra -> R$15,00

Stop -> R$11,00 – perda de 26%

Projetando 26% acima do preço de compra para um risco 1:1 nosso objetivo mais próxima estaria em R$18,90, projetando mais duas vezes acima do preço obtido em R$18,90 considerando o risco x ganho 1:3 estaria entre R$26,70 e R$30,00 respectivamente.

Você como investidor pode optar pela realização parcial de lucro antes mesmo de atingir o ponto marcado pela projeção, mas isso impede que sua operação alcance todo o retorno necessário acima do risco calculado, havendo a necessidade de que mais operações futuras tenham maiores índices de acertos para um ganho de capital positivo.

Essa observação deve ser feita quando o mercado oferecer o momento ideal de compra e para dar certo o sinal precisa apontar uma formação de tendência de alta quando sinalizar fraqueza da tendência anterior.

Post to Twitter Post to Plurk Post to Bebo Post to Delicious Post to Digg Post to Facebook Post to Google Buzz


Indicadores, osciladores e rastreadores

dezembro 16th, 2013 by admin in Mercado de Ações

Para garantir um bom retorno em nossas operações no mercado de ações, necessitamos sempre estar atentos ao funcionamento da bolsa de valores, os fatores que influenciam direta e indiretamente cada movimento, tanto para antecipar nossas decisões como para evitar perdas ao patrimônio financeiro investido.

O investidor atento deve observar antes de operar quais são seus objetivos para incluí-los durante o investimento, definindo: tempo, quantia, limites de ganhos, posições de entrada e de saída, tipos de ações e quais empresas deseja investir e quantas ações comprar. Isso é o básico para começar a opera na bolsa de valores. Gostaríamos de mencionar nesse texto a vantagem no uso dos indicadores, osciladores de tendência que funcionarão como ferramentas complementares do mercado, utilizando dados como volume e preço da ação, como também força da tendência, pontos de reversão e momentos decisivos.

Os indicadores são ferramentas auxiliares do mercado que usam fórmulas matemáticas baseadas na precificação de um ativo e seu volume. Foram inventados por estudiosos do mercado para interpretar os sinais emitidos pelo mercado. Essa ferramenta ajuda o investidor a compreender momentos de compra e venda, apresentando momentos mais interessantes para se fazer um negócio.

A maioria dos rastreadores existentes no mercado são divididos em 3 partes como: rastreadores, osciladores e mistos.

Rastreadores: Os rastreadores tem por objetivo monitorar a tendência de um ativo, visualizando a coerência ou divergência entre o preço em relação a tendência monitorada, visando a identificação de divergências de força ou fraqueza. Geralmente os rastreadores são utilizados em gráficos de linhas, sendo que os mais utilizados pelos investidores são: médias móveis, OBV(on balance volume), MACD (Moving Average Convergence and Divergence), dentre outros.

Osciladores: Os osciladores estão classificados assim por medirem as oscilações dos preços em uma tendência seja de alta ou de baixa, indicando possíveis pontos de reversão que o preço pode assumir. Geralmente vem representados em gráficos de linhas e indicam pontos de sobrecompra e sobrevenda. Quando os preços se encontram nessas zonas marcadas pelo indicador há uma grande chance de reversão dos preços atuais.As zonas de sobrecompra e sobrevenda reforçam a chance de ocorrerem divergências nos movimentos da tendência. Os mais conhecidos osciladores e utilizados pelos investidores são: IFR, Estcástico, Williams %R, dentre outros.

Mistos: Os indicadores dessa classe são usados para acompanhar o comportamento de um grupo de ações e seus movimentos. Geralmente são mais utilizadas para compreender o consenso dos investidores sobre um índice como Ibovespa formado por uma carteira de ações, ou mesmo um setor específico do mercado em relação a expectativas, direcionamentos, projeções etc. Os tipos mais utilizados são: LAD, Clímax e New High e New Low – Novas Máximas e Novas Mínimas.

Entenda a importância dos rastreadores como ferramentas complementares da análise técnica, garantindo melhor auxílio no estudo dos ativos com melhor perspectiva de retorno.

O analista poderá ter melhores condições de decisão no mercado de ações, baseando-se nos sinais apresentados pelo próprio mercado.

Post to Twitter Post to Plurk Post to Bebo Post to Delicious Post to Digg Post to Facebook Post to Google Buzz


OGX – Recuperação ou falência ?

novembro 6th, 2013 by admin in Mercado de Ações

O pedido de recuperação judicial da empresa OGX marca um período de grande perda em relação ao patrimônio do empresário Eike Batista e vem sendo um dos assuntos mais comentados entre investidores com relação aos interesses econômicos que circundam a empresa petroleira.
A tentativa de recuperação da empresa por meio do processo conhecido como “concordata”, levantou dívidas em torno de R$11,2 bilhões, 15 vezes maior do que a empresa vale hoje. Os credores pressionando a empresa para renegociar condições e garantia de cumprimento da liquidação das dívidas, influenciaram diretamente a cia a realizar uma liquidação dos bens como garantia evitando uma falência repentina.
Esse pedido de recuperação mantém em até 180 dias o prazo para que os bens não sejam tomados, colocando nas mãos do juiz o salvamento da empresa, isso se houver um plano de renegociação aceitável dessa retomada e aprovado pelos credores após os 30 dias da aceitação do processo de recuperação. Se o processo for aceito, a empresa tem até 60 dias para apresentar um plano de reestruturação financeira e não ter seus bens requisitados em juízo e assim decretar falência.
Esse prazo pode se estender por anos levando em consideração o que a empresa foi e a valorização que tinha, onde chegou apresentar uma avaliação de mais de R$75,2 bilhões, levando Eike a ser um dos maiores bilionários do mundo. Os investidores perderam total confiança com a empresa que já não vinha mais matendo estável a capacidade de se aplicar com retorno financeiro garantido.
As promessas de captação de recursos foram ficando ainda mais comprometidas fazendo o empresário perder a captação de crédito no mercado para pagar os juros das dívidas contraídas refletindo em desvalorização dos ativos na bolsa de valores e acúmulo negativo.
O que coloca em xeque e marca o começo do fim do império foi o período de reavaliação das reservas do campo em Tubarão Azul com um terço do total em relação ao que era exposto aos acionistas. Especulações em torno da empresa e promessas não cumpridas, levaram a empresa a tomar uma decisão pelo próprio equilíbrio.

Post to Twitter Post to Plurk Post to Bebo Post to Delicious Post to Digg Post to Facebook Post to Google Buzz


O que são os desdobramentos das ações?

setembro 5th, 2013 by admin in Estratégias, Mercado de Ações

Em um significado mais amplo para a palavra “desdobrar” é o sentido de dividir em uma ou mais partes determinado valor. Uma empresa que realiza desdobramentos em suas ações, permite criar maior volume de ações em circulação sem alterar seu capital social. Ou seja, a criação dos desdobramentos aumentam o nºs de ativos em circulação que podem ser cotados a um preço menor. Sendo assim, mais investidores terão a possibilidade de negociar nessa empresa a um preço mais acessível do que aquele praticado se a ação estivesse em sua fase integral.

As empresas realizam esse procedimento visando melhor acessibilidade na compra de um lote padrão de ações pelos investidores como também permitir a sua própria liquidez diante do mercado.

Um exemplo: Se uma ação está valendo R$122,00 reais, qual seria o valor necessário para a compra de um lote mínimo de 100 ações?. Nesse caso, seriam necessários R$12.200,00. Muitos investidores iniciantes podem não ter esse capital disponível para aquisição de tal quantidade, impedindo a decisão de compra. Pode não ser seu caso mas em comparação aos demais investidores o preço estaria acima da média.

O que pode ocorrer com a ação após o desdobramento ?

Uma ação que tenha passado por um desdobramento, terá seu preço mais acessível entre os investidores como citado anteriormente proporcionando a ação maior volume de negociações e assim maior liquidez para empresas que possuam valorização e rentabilidade em seus preços.

O investidor que tenha adquirido uma ação que sofreu desdobramento terá maior ações em custódia, mas com preços inferiores aqueles praticados durante sua compra. Um evento de desdobramento apenas permite que o mesmo capital seja subdividido. Suponhamos que voce tenha 100 ações da PETR4 hoje 30/08 no preço de abertura cotada em R$17,01 passa por um desdobramento de 100%, quantas ações o investidor teria e qual seria o preço atual?.

Bom, um desdobramento em 100% dividiria as ações em um total de 200 ações a um preço de R$8,50 adquirindo mais 100 ações, mas com um preço reduzido pela metade. O capital necessário para um lote mínimo aqui no nosso caso é de R$1.700,00 reais. Vejamos uma tabela ilustrativa agora com uma ação valendo R$30,00 e que sofreu novos desdobramentos sobre um lote mínimo 100 ações:

Nova qtdade Novo Valor desdobramento
200 ações R$15,00 100%
300 ações R$10,00 200%
400 ações R$7,50 300%

Um desdobramento de 200% permite obter 2 vezes mais ações do que antes, ou seja 300 ações em carteira e assim por diante.

Post to Twitter Post to Plurk Post to Bebo Post to Delicious Post to Digg Post to Facebook Post to Google Buzz


Como calcular o risco de uma operação

janeiro 21st, 2013 by admin in Mercado de Ações, Mercado de Opções

Um investidor que procura valorização de capital entra na bolsa de valores em busca de rendimentos e aplicações que satisfaçam essa necessidade com bom retorno financeiro. Sendo assim, é possível identificar muitos acionistas organizando suas metas sem traçar corretamente um plano de ação junto ao objetivo.

 

A análise técnica utilizada por nós é a ferramenta indispensável para acompanhar a trajetória dos movimentos desses preços e com eles nossas oportunidades são bem definidas com base nessas formações. Agora você deve estar se perguntando, então como deveria ser feita a análise de meu investimento para obter um retorno?.

 

Primeiramente seria entender análise técnica que você pode conferir em nosso site pelo link Encontro Diário . São encontros sobre as principais movimentações de ativos que ocorreram em busca de opoertunidades de investimento. A segunda coisa a se fazer é traçar o objetivo com base nas informações recolhidas da análise técnica para projetar ganhos.

 

Quando se faz o levantamento do risco de uma operação é possível observar seu objetivo e se com o movimento do mercado isso pode acontecer. Isso é conhecido como ponto de saída de uma operação para lucro.

 

Por exemplo: Para traçar o objetivo leva-se em conta o preço de entrada (compra) de uma ação cuja relação Risco x Ganho será 3×1, que se refere ao conceito de ganhar 3 vezes mais do que se perderia caso minha operação desse errado. Ou seja, você arrisca para ganhar 3 vezes mais do que se perder e sai dessa operação. O risco é a diferença percentual entre o preço de entrada e o preço de stop.

Preço de saída: R$43,70

Preço de entrada: R$38,00

Preço de stop: R$36,10

 

Nesse caso comprei a R$38,00 coloquei o stop a R$36,10 que seria 5% abaixo do preço de compra, e meu objetivo a partir disso é obtido quando se projeta 15% acima do preço de entrada em R$43,70 ou 3x mais em relação a meu risco.

 

Dessa maneira, nosso retorno deve ser sempre superior ao risco de uma operação, pois se fosse ao contrário, haveria necessidade de um índice de acerto muito alto para que desse certo. Para saber mais conheça a Equipe Trader: http://www.equipetrader.com.br

Post to Twitter Post to Plurk Post to Bebo Post to Delicious Post to Digg Post to Facebook Post to Google Buzz


Como utilizar o spread para realizar uma operação?

maio 22nd, 2012 by admin in Principal

Primeiramente como adquirir um spread ? . O spread é obtido pela diferença da melhor oferta de compra e de venda de um mesmo ativo indicando o valor ao qual uma ação precisa subir para que uma operação comece a dar lucro quando dá compra da mesma.

Por exemplo:

Tomemos como exemplo o quadro de operações abaixo onde se têm as ofertas de uma empresa a VALE5 :
quadro de operações

Como fazemos para analisar o spread para obter claramente qual foi a melhor oferta de venda ?

Utiliza-se o preço que foi mencionado para venda de R$ 44,31 e sua diferença com o preço de compra R$44,29 obtendo-se o spread. É possível notar aqui um spread de R$0,02 o que representa que para sairmos dessa operação sem prejuízo seria necessário que a ação subisse no mínimo 0,04% sobre o valor de compra.

Pegamos o valor do spread da ação com 0,02 e identificamos o quanto esse spread representa em termos percentuais sobre o valor da oferta de venda, assim sendo saberemos o quanto a ação precisa valer.

O spread sendo a diferença entre o preço pago e o preço de venda, garante uma margem de risco ao investidor assegurando melhor decisão e planejamento em suas decisões.

Quanto maior for o custo do spread calculado de uma ação maior essa ação terá que ser valorizada para alcançar um preço que permita você sair de uma operação com lucro. Essa margem garante melhor distinção das ofertas recebidas e do preço pago, facilitando até mesmo as operações de daytrades e swing trades realizadas, tendo em vista que são operações que dependem da oferta e demanda sobre um ativo durante um curtíssimo prazo. A manipulação desses valores mostrará se entrar em determinada ação não terei prejuízo.

Essa é uma das ferramentas a serem utilizadas e não a única para se analisar diante da escolha de uma empresa a ser investida. Quanto mais recursos são usados para se distinguir uma empresa da outra melhor será meu planejamento e melhor a segurança da realização de qualquer operação.

Tendo em vista que os spreads são importantes para se chegar a um resultado mais rápido, podemos identificar empresas que proporcionem isso. Alguns fatores estão diretamente ligados com o spread e influenciam seus dados que são a liquidez de uma empresa e sua volatilidade. Quanto maior a liquidez de uma empresa no mercado à vista menor será seu spread e maior será a chance de escolha dessa cia para uma operação de sucesso .

Em relação aos mercados disponíveis, temos o mercado à vista e o fracionário, sendo o mercado à vista mais liquido que o fracionário. Dentre o mercado à vista as empresas que participam do Ibovespa são as mais líquidas e representam quase que o total do volume de negócios na bolsa de valores apresentando-se como as melhores até o momento.

A maneira como as empresas são selecionadas ao longo da constituição do mercado garantirá sempre a um investidor o poder de compra e de venda com retorno garantido de suas operações.

 

Post to Twitter Post to Plurk Post to Bebo Post to Delicious Post to Digg Post to Facebook Post to Google Buzz


Como iniciar os investimentos?

março 12th, 2012 by admin in Mercado de Ações

Essa é uma pergunta que muitos estão fazendo, principalmente os iniciantes no mercado de ações. Podemos dizer o seguinte: Investimento é toda parcela constituinte de um capital a qual uma pessoa, empresa ou instituição possui e que pode ser direcionada como meio de crescimento para rentabilidade desse capital visando valorização e crescimento. O que digo se restringe a valorizar o dinheiro colocando ele no lugar certo, seja por meio da compra e venda de um produto no mercado por um preço acima do custo, seja na compra de um imóvel com fins de repasse imobiliário de venda com valorização de custo ou mesmo no mercado de ações com a compra de ações empresariais as quais irei mencionar nesse post.

Você provavelmente se pergunta qual caminho seguir, atento nas possibilidades de lucros que essa escolha pode te trazer, não é mesmo?. Então atente-se que a busca de informação será a sua direção. Procure uma corretora de valores no mercado que ofereça boas condições para sua adesão, como baixa taxa de administração, baixos custos de corretagem e que possua uma plataforma de atendimento com Home Broker(ferramenta web utilizada para negociações de compra e venda em tempo real direto com a Bolsa de Valores)estável. Procure informações junto a essa corretora como: taxas de administração mensal, taxa de custódia, formações de carteira e segmentos e principalmente os termos e condições dessa empresa na prestação de serviço.Sendo assim realize o cadastro abrindo uma conta direta.

Não deposite todo um capital. Se informe sobre o mínimo a ser depositado e utilize essa parcela nas primeiras compras junto ao Índice. Não saia comprando qualquer coisa, lembre-se que antes mesmo de entrar no mercado é preciso estar informado, pois nessa fase a pessoa é vulnerável a perdas e desistências inúteis por falta de amadurecimento.Faça simulações diretas com o Home Broker para se acostumar com as etapas de posição em que se encontra um investidor no mercado.

Pesquise sobre o mercado e suas condições, sua conjuntura econômica real, perspectivas e resultados com previsões em curto, médio e longo prazo. Essas informações serão utilizadas para antecipar momentos de risco que sejam desnecessários ao pequeno e médio investidor no momento de uma aplicação. Não seja um alvo no mercado, seja direcionado a um objetivo. Estude formas de aplicação: venda coberta, venda descoberta, alavancagem. Formas de análise: análise técnica, gráfica, candles, fundamentalista, índices, preços máximas e mínimas, resistências e suportes etc. Condicione o aprendizado a aplicação, favorecendo que sua entrada no mercado não será perdida por mera falta de instrução. Conscientize-se através de pesquisas, participe de cursos e clubes de investimento visando a troca de informações que intensifique o aprendizado.

Post to Twitter Post to Plurk Post to Bebo Post to Delicious Post to Digg Post to Facebook Post to Google Buzz


Como cortar riscos para investir?

janeiro 8th, 2012 by admin in Mercado de Ações

Certamente você que é investidor em meio as várias aplicações realizadas no mercado financeiro já deve ter passado por momentos ruins por escolhas erradas na aquisição de ativos de empresas sem desempenho ou por momentos impróprios de entrada no mercado financeiro não é mesmo?

A forma de operar é decisiva nos resultados que se queira alcançar e se essa forma não for completa de acordo com uma análise clara, objetiva que inclua posição de uma empresa e seus resultados coerentes é possível que se tenha perdas desnecessárias. Estamos sujeitos a diversos riscos, como: ações micos, bolhas especulativas, tendências de quedas como também sinais ruins de desempenho de uma empresa com queda no volume de negociações e desvalorização no preço.

O investidor deve analisar como se comporta o mercado em especial a ação que ele possui em carteira, usando por exemplo a tendência da ação a seu favor para evitar comprá-la em uma máxima que ela tenha alcançado no dia ou no período. Outras das formas de proteção está em realizar lançamento coberto de opções, para obter uma taxa adicional da carteira.

É necessário verificar sempre a LT (linha de tendência) principal desse ativo em uma operação de daytrade ou operação de médio prazo, analisando se é possível ganhar em uma alta ou uma baixa. Com a análise gráfica, podemos identificar melhor a tendência e usa-lá a nosso favor, pois com ela podemos reduzir muitos riscos ao observamos em canal de tendência os suportes e resistências. Por exemplo:

Um trade pode ser realizado em uma tendência de baixa com possível indicador de reversão no movimento para alta. Nessa alta é possível realizar trades comprados e assim obtermos lucros muito maiores.

Post to Twitter Post to Plurk Post to Bebo Post to Delicious Post to Digg Post to Facebook Post to Google Buzz


Os candlesticks na análise técnica

dezembro 17th, 2011 by admin in Mercado de Ações

Nesse post, estaremos dando evidência ao padrão gráfico em legenda de preços para análise técnica, conhecido como “candlesticks”.
Para quem nunca ouviu falar sobre os “candles”, estarei explicando alguns detalhes.

Os “candles” são figuras representativas em um esquema gráfico fornecendo uma base para análise de um papel em preços, máximas, mínimas, topos e fundos . Possui essa designação por causa de sua figura ser parecida como uma vela e seus pavios. Elas mostram padrões dos preços a serem analisados, como a forma em que se movimentam apresentando uma legenda em determinado tempo a ser interpretada.

Os “candlesticks” proporcionam o conhecimento quadro-a-quadro do mercado, ou seja, detalhes são fornecidos a cada instante em cada formação de preço sofrido para a tomada de uma decisão, informando situações recorrentes do mercado como reversão para uma alta estando em um período de baixa e vice versa. Os “candles” são responsáveis por fornecer 04 tipos de informações essenciais a um investidor como: preço de abertura, preço de fechamento, máximas e mínimas. Os “candles” eram usados antes da década de 80 no mercado de arroz desde o século XVIII no Japão e recentemente foi descoberto no Ocidente.

As figuras representativas dos “candles” são bem didáticas e mostram a cada movimento um padrão distinto sujeito a uma interpretação.Alguns dos padrões de “candles” também são conhecidos por aparecerem em cores , verde e vermelho. Quando um “candle” está verde em seu corpo, podemos entender que o preço está acima da abertura, houve um fechamento superior em relação ao preço de abertura anterior. No caso de um “candle vermelho” temos a representação de um preço abaixo daquele da abertura com fechamento inferior.

De posse de um gráfico de candlesticks, podemos controlar os padrões de comportamento de um papel e ter em mente o rumo do movimento que poderá tomar. Diferente de tendência, os gráficos só revertem movimentos e não tendência. Existem os tipos de padrões mais usados para o estudo de um preço que são: martelo, martelo invertido, enforcado, estrela cadente, Doji, Harami, Engolfo, Penetrante, bebe abandonado, nuvens negras e etc. Esses são padrões mais convencionais durante a formação de preços.

Os padrões em uma reversão de baixa é representada sempre pelas figuras em um momento de alta que são: Enforcado, estrela cadente, estrela da noite, bebê abandonado, mulher grávida (Harami), Harami Cross, Engolfo (Padrão Envolvente), tempestade à vista. No caso de padrões em um tendência de baixa teremos figuras representando os padrões: martelo, martelo invertido, estrela da manhã, bebê abandonado de alta, mulher grávida de alta(Harami), Harami Cross de alta, Engolfo (Padrão Envolvente), Linha Penetrante.

Observemos que as formações de padrões são muito importantes por representarem a situação em que se encontra o mercado, significando ao investidor melhor tomada de decisões conforme o movimento que papel realiza.

Post to Twitter Post to Plurk Post to Bebo Post to Delicious Post to Digg Post to Facebook Post to Google Buzz


« Older Entries